sábado, 22 de março de 2014

Château Mouton Rothschild: tradição, prestígio, arte, grandeza...

O Château Mouton Rothschild é uma famosa vinícola da região de Médoc, França, localizada na comuna de Pauillac. Ela produz um dos mais prestigiados vinhos de Bordeaux, o Château Mouton Rothschild, um "Premier Grand Cru Classé", de acordo com a classificação oficial dos vinhos de Bordeaux 1855. Ele compartilha essa rara distinção com Château Margaux, o Château Latour, o Château Lafite Rothschild e Château Haut-Brion.
Propriedade de um inglês do ramo da família Rothschild desde 1853, o Mouton Rothschild é particularmente famoso por duas razões, além da excelência dos seus vinhos:
- Desde 1945, o rótulo é diferente em cada ano, muitas vezes ilustrado por um famoso artista, incluindo Marc Chagall, Miró, Picasso…;
- Inicialmente classificados como "Deuxième Grand Cru Classé" em 1855, o Mouton foi promovido ao posto de Premier Grand Cru Classé" em 1973 pelo Ministério da Agricultura francês.
- O emblema do Castelo é o carneiro de Augsburg.
Em 1853 o Barão Nathaniel Rothschild comprou, em um leilão em Brane, o Château Mouton de Pauillac e renomeou-o para Château Mouton Rothschild e foi classificado como "Deuxième Grand Cru Classé" em 1855. Após a morte de Nathaniel em 1870, o castelo permaneceu na família, mas com pouco desenvolvimento até 1922, quando Philippe de Rothschild assumiu o controle do vinhedo e foi o grande responsável pela ressurreição do Château. O ano 1924 marca o primeiro engarrafamento no Château. Em 1973, a revisão da classificação de 1855 consagrou o Mouton como "Premier Grand Cru".
O Château Mouton Rothschild abrange mais de 84 hectares de vinhas no coração do AOC de Pauillac. A videira é típica do Médoc: Cabernet Sauvignon (77%), Cabernet Franc (12%), Merlot (9%), Petit Verdot (2%). O Mouton Rothschild utiliza uma forma de vinificação incomum: o vinho fica na cuba após a fermentação e uma maturação mais longa em garrafa para atingir plena maturidade. Desde 1993, o Château produz um segundo vinho, o "Le Petit Mouton de Mouton Rothschild".
Em 1924, ocasião do primeiro engarrafamento no Château, um rótulo específico foi criado pelo artista Jean Carlu e é este trabalho do artista que decora o rótulo do Petit Mouton desde 1994. Em 1945, o Baron Philippe de Rothschild decidiu comemorar a vitória na Segunda Guerra Mundial, rotulando o Mouton Rothschild com um "V" (de Vitória) desenhado por Philippe Jullian. Depois de 1946 a 1954, vários artistas (pintores, cartunistas) passaram a decorar os rótulos. A partir de 1955, esses rótulos passaram a ser produzidos por grandes artistas.


O Mouton Rothschild 1945 passou a ser, em 28 de setembro de 2006, o vinho mais valioso do mundo em um leilão organizado pela Christie's, em Beverly Hills. Um lote de 12 garrafas de 1945 chegou a US $ 290.000 (228.500 euros o lote ou € 22.650 cada) e um lote de 6 magnuns foi vendido por US $ 345.000 (€ 272.000). O recorde anterior era detido pelo Romanée-Conti 1985 cujas seis magnuns foram vendidas por € 134 315, em março de 2005, em Nova York.