segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Ainda está em mim...


Vestindo apenas um fino tecido,
um bom vinho me acompanha.
Sentada na sacada, admiro a noite 
levemente morna, estrelada...
O vinho se torna um néctar dos deuses;
ao sorver, fecho os olhos, saboreando...
Impossível não lembrar do amor gostoso que fizemos...
Delícia de momento, desejei mais. 
Ainda com os olhos fechados 
sinto seu toque em minha nuca...
Passo a taça contornando meus lábios entre abertos,
minha pele se arrepia.
Suas mãos, ainda posso senti-las percorrendo todo meu corpo...
Mesmo sem perceber, um gemido escapa...
O vinho escorre entre meus lábios, 
aflorando meu desejo.
Ainda posso sentir sua boca, passeando,
explorando meus segredos...
Sinto o cheiro do seu corpo como brisa me tocando...
Ah! Como esse vinho me traz a memoria coisas que ainda estão em mim...

(Autor desconhecido)