quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Vinhoterapia - Roberta Von Doelinger

Na confraria do tempo
Degusto emoções
Exponho sentimentos
Medeio aflições
Sorvo o mais seleto vinho
Ergo taças ao céu
Embriago-me de anseios
E lanço-me ao léu
No hálito quente
De lábios sem verbo
Tenho o silêncio como testemunha
E um shiraz por perto
A embriaguez que me venha
De um modo voraz
E que me faça companheira
No seu barco sem cais
Na manhã seguinte
Presto conta do meu ato
Tomando a certeira decisão
De ser cúmplice... de Baco.
Roberta Von Doelinger