sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

O vinho e o nosso amor - Luiz Alberto C. Filho


Qual vinho que bebemos numa taça
Após o breve e férvido momento,
Nosso amor, este nobre sentimento,
Melhora quanto mais o tempo passa.
Do líquido do amor e sua graça
Bebemos num completo encantamento,
Como se nós bebêssemos sedento,
Um merlot que na cama nos enlaça.
Assim é nesta vida nosso amor:
Feito vinho nos anos a ganhar
Muito mais consistência e mais sabor.
Mas para não se ter um dissabor,
Qual vinho maltratado a desandar,
No amor muita atenção há que se pôr.

Luiz Alberto C. Filho