quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Uma taça de vinho... - Emidio Gonçalves


Uma taça de vinho, numa noite de luar;
lá no firmamento, uma estrela qualquer,
misteriosa, linda, cintilante a observar;
junto de mim, um corpo nu de mulher,
tremendo de ansiedade, ardente ofegante,
enquanto, acaricio seu corpo quente
e saboreio sofregamente a luxuria do instante!
Sobe-me nas veias o sangue efervescente.
Irrequieto, descontrolado que ameaça rebentar
tal vulcão, que de rompante acaba de acordar!
Emidio Gonçalves