segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Taças - existem muitos modelos no mercado, qual escolher?

Muitos não sabem, mas o papel chave da taça de vinho é realçar algumas características da bebida.
O austríaco Claus Josef Riedel, em 1950, descobriu que o volume, a forma, o diâmetro, o acabamento e a espessura do vidro eram determinantes para guiar o "caminho" dos aromas até o nariz e precisar os toques do vinho no paladar.
De fato, se considerarmos o mapa da posição das papilas gustativas, percebemos que cada região é responsável por um sabor: doce na ponta, salgado dos lados e amargo na parte de trás. Por conta disso, direcionar o vinho à região onde será melhor saboreado é essencial.
Existem muitos modelos no mercado, o importante é observar fatores primordiais, como a transparência, para uma apreciação perfeita da cor; hastes longas para segurar o copo sem tocar o bojo, e assim não alterar a temperatura da bebida; bojo apropriado para ressaltar melhor os aromas do vinho escolhido.
Para simplificar, o ideal é ter uma taça "curinga", e o principal trunfo se chama ISO (International Standards Organization): uma taça desenvolvida para degustações técnicas e que serve para qualquer vinho.
No caso de querer investir na experiência, há quatro modelos básicos: 
Bordeaux - apresenta características que favorecem as uvas Cabernet
Bordeaux
Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Syrah, Bainada e Tannat. Copo mais alto, de borda estreita e volume grande, que favorece os tintos ricos em taninos.
Borgonha

Bourgogne - o amplo formato de balão faz com que o buquê se libere de maneira mais fácil, o que a torna ideal para vinhos à base de Pinot Noir, Nebbiolo, Barbera e Amarone.

Vinho branco - corpo menor do que as utilizadas para os tintos, mais afunilada na boca, pois os vinhos brancos não requerem muita oxigenação. 
Vinho branco



Flute – bojo alto e estreito, haste
Flute
longa, ideal para espumantes, pois quanto mais alto o bojo mais realçará os aromas.

Se quiser, pode ir além, escolhendo uma para rosados e outra para doces (apesar de a de vinho branco também servir para essa função). As denominadas “Porto” são perfeitas para doses menores e vinhos mais doces, como o do Porto, Marsala e Banyuls, por ter um bojo levemente mais estreito e menor.

Santé!